Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Beijo Saído...

344 - saído.jpg344. Beijo Saído da névoa de uma alma. Importado dos confins de um coração. Fabricado no intimo de um existir, para quem tem a simpatia de oferecer alguns deliciosos momentos de atenção, na intimidade reservada do seu lar, onde os seus olhos bebem palavras que se escrevem como se de beijos se tratassem, recebendo-os como súbditos na sua boca, no seu corpo ou na sua face. Beijo saído e levado ao nível da receção sensorial até onde só a imaginação o consegue reproduzir. Porque da névoa da alma até ao pôr-do-sol do seu existir este beijo faz a viagem etérea, pelo espaço e pelo tempo, desafiando as leis da Física, para brilhar por fim, qual alvorada luminosa, a uns olhos sedentos de o receber, numa vassalagem que lembra histórias de damas e cavaleiros, onde honra, orgulho e devoção andavam fielmente lado a lado. Beijo saído, não importa de onde, importa sim que chegue a quem se destina e nada mais, para que entre ambos os interlocutores se desvaneça a névoa tornada em luz "caliente" da estrela que juntos representam, viva, brilhante e repleta de felicidade.

 

 

 

Beijo de Sagitário

343 - sagitário.jpg343. Beijo de Sagitário, desafiante e emotivo porque o nativo deste signo gosta de luta. Este é um beijo de impossíveis, quase inconquistável, no limite do racional, fora de tudo o que é comum, normal ou usual, quase cego. É também um sério candidato a uma bofetada em público, tal como os dos nativos de Carneiro, quando o seu completo aventureirismo no beijar se torna incompreendido. Ao se adjetivar um ósculo de Sagitário tem que se pensar diferente, "out of the box" diriam os ingleses. Contudo neste beijo não existem angústias, dor ou posse, mas sim felicidade, diversão e alegria, sendo muitas vezes apelidado de beijo malandro, traquinas ou atrevido. Beijo de Sagitário, rápido como a sua flecha no agir, ousado e entregue nos ambientes mais inusitados, intenso e profundo se livre, inovador por excelência, e sempre crente na permanente mutação criativa de um beijar.

 

 

 

Beijo Sábio

342 - sábio.jpg342. Beijo Sábio ou beijo do Mocho, pelas terras do samba. Ele é, antes de mais, inteligente, pensado e planeado previamente à sua efetivação. Inventivo no objetivo e projetado nos detalhes, não de forma maléfica ou de qualquer maneira retorcida, mas de feição a acautelar riscos supérfluos com vista a que tudo possa suceder de acordo com aquilo que se traçou. É um beijo dado com simpatia na esperança quase que abusiva de, apesar de tudo, conseguir ganhar um sorriso por prémio, alicerçado na experiência própria ou observada de outros ósculos, verdadeiramente documentado e conhecedor dos gostos e valores de cada parte. Beijo sábio, entregue sem dúvidas, com tempo escolhido, no local ideal, à pessoa certa.

 

 

 

Beijo Rubro

341 - rubro.jpg341. Beijo Rubro como as amoras do campo, quase roxas de cor pela concentração dos pigmentos. Um beijo russo, enquanto sobremesa que serve como entrada, ou na boca à Camarada Brejnev, no entanto calmo, como calma nos poderá parecer, à distância, a superfície do Sol. Beijo delicioso, como o sorriso da criança que sorri sem saber porquê, ou, sabendo, esconde o rubescer que se lhe poderia aflorar à pele, para que o sorriso se mantenha assim fácil e inofensivo. Por fim, beijo intenso como um vulcão que após milénios de inércia resolve demonstrar que tem força, poder, vigor e capacidade de ainda se fazer ouvir ou afirmar. Beijo rubro no nervosismo oculto em cada entrega, que se passa por pálido como Lua Cheia, que, por trás, esconde um Sol em eclipse total.

 

 

 

Beijo de Rubi

340 - rubi.jpg340. Beijo de Rubi, encrostado num anel de platina representando o cetim de uns lençóis de sonho e fantasia. Cravejado de diamantes, figurando dois rostos que se unem pela junção dos beiços, onde o óxido de alumínio, de cor muito vermelha, interpreta, na simplicidade da alumina, as bocas de rubi vivo. Beijo intenso, sensualmente perfeito nesta fusão de amplexos entre lábios que se desejam, que se unem, que se querem, que se fundem para fazer nascer da lascívia nobre e rica de uma criação voluptuosa a imagem perfeita de um amor.

 

 

 

Beijo Roubado

339 - roubado.jpg339. Beijo Roubado a um daqueles filmes românticos em que, numa cena de pôr-do-sol, o herói chega finalmente perto da dama, que acabou de salvar de uma imensa quantidade de apuros. É então que a olha como se estivesse perante a personificação viva e encarnada de Vénus e se debruça sobre ela, que o admira numa mistura de quem venera um Apolo e um Deus da Guerra. Repentinamente, acontece um tocar quase infinito dos lábios que se parecem fundir, dando razão à vida e à existência, surripiando o beijo, sem permissão alguma, à donzela mais que agradecida, num silêncio roubado ao pudor que não à vida.

 

 

 

Beijo no Rosto

338 - rosto.jpg338. Beijo no Rosto, na face, na bochecha, não importa o termo usado, todos eles são ósculos de ternura e gratidão. Porém, se repetidos em demasia pela derme da cara, e principalmente após um beijar mais longo, ganha o nome carioca de beijo reticências. Um beijo que implica uma possível continuidade para uma categoria diferente da iniciada. Porém, usualmente, o beijo no rosto apenas implica uma ação de cumprimento, de mimo ou de carinho amigo sem outras quaisquer consequências.

 

 

 

Beijo de Rosa

337 - rosa.jpg337. Beijo de Rosa, pode ser a encarnada, mas todas as cores seriam bem-vindas consoante a intensidade aplicada neste beijo. Beijo onde os espinhos mais não representam que as dificuldades de acesso à dama que se cobiça e a quem queremos fazer a tão almejada entrega na forma de um beijo feito flor. Envolto noutras flores como papoilas de carinhos, tão suaves que fazem lembrar borboletas em voo, espalhando néctar e beleza, camuflando a rosa e o seu beijo como meio ameno de conseguir a entrega, o ato, o finalmente. Beijo de rosa, criado para o veludo de uma pele, contornando os espinhos de uma negativa, emitindo odores de consolo e de ambição, entregue em conjunto, com onze rosas mais em ramalhete, para uma aceitação completa e desde cedo cobiçada.

 

 

 

Beijo Romântico

336 - romântico.jpg336. Beijo Romântico, difícil, muito difícil de se dar devidamente. Para o conseguir é preciso, primeiro que tudo, sentimento, mas não um sentir qualquer, esse não serve, tem de ser genuíno, real, sentido no amago de nós mesmos e rececionado pelo amago de quem o recebe. Não basta apenas sentir é obrigatório vibrar. Este é um caso onde a troca de olhares é fundamental. Olhos nos olhos, em profundidade, sem subterfúgios de qualquer espécie, ligados pela alma que une lábios com lábios, lábios com face, lábios com pele. Porque não importa onde os lábios poisam na interlocutora, importa sim como ela os sente. Beijo romântico, de beiços embeiçados, possuídos, verdadeiros, vibrantes, extravasando hormonas e entusiasmo.

 

 

 

Beijo de Romance

335 - romance.jpg335. Beijo de Romance, inicialmente sente-se no ar a atitude, o estado de espírito, depois damos conta de um movimento lento, sentido, aproximando os dois seres como por magia, qual magneto atraindo entre si corpos e almas em rota de colisão apetecida. Beijo num ambiente paira a bruma própria dos sonhos e da fantasia, da intuição e da paixão, da cegueira absoluta de tudo que não seja o outro. É o um para um, o um em um, o um apenas, fundido de uma dualidade feita unidade pela força criativa de beijo. Tocam-se os corpos, roçam-se as vestes, transmite-se o calor, o cheiro, a energia e, no tocar dos lábios o Sol se põe, deixando para trás paisagens de fogo e água, num misto de natureza inebriada. A lua fica prenhe, plena, cheia e luminosa, fogueiras se acendem nos corações batendo descompassadamente em uníssono e olhos trocam sorrisos arrebatados por esse beijo de romance.

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Seja Bem vindo ao Twitter

Follow JJGilSaraiva on Twitter

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D