Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

08
Abr09

Dia Mundial da Astronomia - Ano Internacional da Astronomia: Infinito 08/04

Gil Saraiva

 

Celebra-se hoje o Dia Mundial da Astronomia neste que é o Ano Mundial da Astronomia. Se há coisa que um Vagabundo não pode deixar passar em branco é o Dia do Universo, do Infinito, do Além.

Ano Internacional da Astronomia

Desde o Princípio dos Tempos que observamos o Universo, que admiramos o céu, que lhe invejamos a forma e o tamanho em toda a sua grandiosa dimensão.

Observando o Céu

No ínício os meios de observar mais não eram que os nossos olhos, a loucura de um simples olhar... um olhar desejoso de descobrir aqueles mistérios que tanto nos impressionavam.

Observatório

Mas fomos evoluindo. Arranjando novas formas de ver e de concluir. A admiração pelos astros deu lugar à Astrologia. Uma "ciência" de observação e correlação do Céu com o nosso próprio Existir.

Observatório

Procuramos explicar tudo através dessa observação. Criamos os signos do zodíaco com base em conjuntos de estrelas a que demos nomes muito concretos: Leão, Touro, Escorpião, Virgem e por ai fora...

Rostos na superficie dos planetas

Tentamos explicar parte da nossa personalidade pela influência dessas constelações e da sua localização à data e hora do nosso nascimento. Fomos ao ponto de atribuir propriedades aos planetas que transitaram pelo céu desde o nosso nascimento até à nossa morte. A influencia da Lua, de Vénus, de Marte, de Saturno....

Saturno

Amamos o Sol que nos dá vida, luz e dia. Ele que nos queima a pele e nos faz em última análise existir, ser e respirar pela influência directa que transmite ao nosso próprio planeta Terra.

Sol

Da astrologia evoluímos para conhecimentos mais exactos num paralelismo de explicações lógicas que não apenas sensitivas e menos comprováveis. E não parámos mais nessa busca sem fim pelos planetas, pelo Universo.

Planeta

Cada Estrela descoberta, cada Planeta, cada Cometa, cada corpo celeste foi sendo integrado no mapa global. Tentamos encontrar explicação para tudo. Desde a origem do próprio Universo até à nossa.

Estrelas, galáticas, Infinito

A cada passo conquistado quisemos mais e mais e muito mais. Partimos para outros mundos, fomos à Lua, e descobrimos a nossa própria Terra. Sabemos que existimos porque estamos integrados e somos parte de um todo infinitamente maior que nós.

Planeta Terra

Por fim sentimos que já dominamos algo, como se fosse possível dominar o Infinito.

Deixo aqui um soneto dedicado ao Ano Internacional da Astronomia e ao Dia Mundial da Astronomia.

Infinito

"INFINITO"

Um astro brilha lá no firmamento;
Um ponto que me aponta o infinito;
Um cometa indicando um velho mito,
Formado há muito já no pensamento

Por não caber no nosso entendimento,
Como não coube no do antigo Egipto,
E, nem nessa Índia velha do sânscrito
Ou mesmo até no Novo Testamento...

Tantos sonhos pra lá da estratosfera;
Lendas de deuses, Deus, de Lúcifer;
Materialismos, carne....... só mister!

Ah! Pobres humanos quem vos dera
Poder, como eu, viver qualquer quimera,
No infinito amor desta mulher!

Haragano, O Etéreo in Folhas de Outono, Flores de Primavera

Mulher

08
Abr09

Meu Nome 08/04

Gil Saraiva

 

Meu Nome...

"MEU NOME"

A minha alma, de mim, se foi embora...
O meu vazio ser ficou pra aqui...
Meu nome eu já nem sei... dele me esqueci...
Mas que me importa,  a mim, sabê-lo agora...

Se, neste mundo, pela vida fora,
Nunca em nenhuma boca eu o ouvi...
Meu nome à sede morre e já bebi...
Seca de dor... minguando a cada hora...

Meu nome... é um sussurro de floresta...
Como vento, pla mais pequena fresta,
É um resto de mim serpenteando!...

Bate-me agora à porta a velha Morte...
E choro, já feliz, a minha sorte
Pois sinto-a, plo meu nome, me chamando!...

Haragano, O Etéreo in Folhas de Outono

Companheira Morte