Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

05
Mai11

Poemas de um Haragano: Livro XXI – Tinharé

Gil Saraiva

 

          IV

 

“TINHARÉ”

 

Tinharé

Se desvenda e redescobre,

Do homónimo arquipélago

Se destaca,

Impõe naturalmente um porte nobre,

No vestir rico da verde casaca,

Feita de Mata Atlântica em frescura…

Tinharé é terra, é ilha pura…

Qual esmeralda brilhando

Entre ametistas,

Tinharé

Deslumbra pelas vistas…

 

Verdejante de vida

E de natura,

Parece esquecer a amargura

Dos dias que pareciam sem saída

Nos tempos velhos da escravatura…

Em plena Mata Atlântica

Sitiada,

A ilha parece quase desenhada

Para, sendo deslumbrante

E desejada,

Se tornar doravante,

De improviso,

No último sonhado paraíso…

 

Haragano, o Etéreo in Portaló

(Gil Saraiva)