Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

19
Jan09

Caçadora de Sonhos 19/01

Gil Saraiva

Caçadora de Sonhos

"CAÇADORA DE SONHOS"

Caçadora de sonhos
E tão sem saudade...

Armada de vida,
Carente de presas,
Eu... pela cidade
Procuro a saída
Encontro defesas
Na alma do mundo:

Ninguém se quer dar;
Ninguém sabe amar;
Ninguém quer, no fundo,
Saber encontrar
A paz, no profundo
Calor de um segundo...

Caçadora de sonhos
E tão sem saudade...

Eu vejo no dia,
Na noite bravia,
No caminho, na rua,
Entre gente, mais gente,
Vestindo essa moda
(Qual festa tardia
Ao néon da Lua),
A gente que mente
E em bares se acomoda...

E ali, nessa esquina,
Eu vejo no dia,
Na noite bravia,
Se vendendo toda,
Uma pobre menina
Que diz a quem passa:
"- Mil paus... tô na moda..."

No meio da praça,
Se vendendo toda
Joana sem caça,
Carente de presas,
Faz contas à vida:
"- Nem dá prás despesas...
Que porra de vida!..."

E gente infeliz,
Com hora marcada,
Passa e lhe diz:
"- Dou cem e mais nada..."

Caçadora de sonhos...
E tão sem saudade...

Eu já vejo agora
O riso da erva
Nos pés dessa serva,
Que vende por hora
O corpo... estragado...
De tão ser usado.

Caçadora de sonhos
E tão sem saudade...

Buscando, perdida,
A velha igualdade
Do mundo, da vida...

Buscando ilusões,
Conceitos, ideias,
Credos e orações,
Entre cefaleias...

Caçadora de sonhos
E tão sem saudade...

É assim: no leve sorriso
Dessa erva daninha;
No cacto que cresce
Formando uma espinha;
Na espinha que pica
Aquela andorinha
(Coitada, infeliz,
Que sangue já chora),

Caçadora de sonhos
E tão sem saudade...

E choro de mágoa
O gozo sinistro
De certa gentinha,
Com cara de quisto
Pejado de tinha;
E a cara alegre
De um velho ministro
Que julga esconder
O que já foi visto...

Choro... choro e volto a chorar...
Mas... riem as luzes pla cidade fora...

Riem de mim na noite vizinha;
Riem... riem como quem ri
De uma adivinha prá qual a solução
Não se avizinha...

Riem... riem enquanto meu ser
De novo chora,
Chora como ontem,
Como hoje e agora:

Chora as meninas
No meio da praça
Se vendendo todas
Ao primeiro que passa...

Caçadora de sonhos
E tão sem saudade...

Como posso caçar
Sonhos no mundo?

Como posso amar
Mais que um segundo?

Não tenho saudades
Da terra maldita,
Onde o direito
Não passa de fita...
Minha alma:

Caçadora de sonhos
É tão sem saudade...

Haragano, O Etéreo in O Próximo Homem

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.