Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

20
Mai11

Poemas de um Haragano: Livro XXI – Portaló – Despedida

Gil Saraiva

 

        XII

 

 

“DESPEDIDA”

 

 

No Hotel Portaló o ser se reparte

Qual afago, festa ou cafuné,

De chalé em chalé

Cultura é baluarte

Que à natureza se mistura

Com engenho…

Quem chega,

Chega a um mundo à parte;

Quem parte

Não esquece o desempenho

De quem

O acolheu naquele hotel,

De quem

Lhe deu guarida,

Deu quartel,

Deu nova vida…

 

Portaló não é porta,

É como um véu,

Passar por ele só importa

Para quem quer ficar perto do céu…

Quem parte

Leva natura e arte

Quem chega

Tem saudades quando parte…

 

Haragano, o Etéreo in Portaló

(Gil Saraiva)

20
Abr11

Poemas de um Haragano: Livro XX - Flor da Pele

Gil Saraiva

 

"FLOR DA PELE"

 

 

Sentir, à flor da pele, o verbo amar,

Amar, de corpo e alma, com furor...

Sentir, vibrar, viver e pressupor

Que o ser humano tem num só olhar:

 

A força e a vontade de lutar,

A garra e o poder de sobrepor

A tudo e todos a palavra amor,

Por mais que essa palavra vá custar!...

 

Sentir, à flor da pele, toda uma vida,

No prazer divinal de um só orgasmo...

Viver de gosto, em pleno entusiasmo,

 

Amar sem fronteiras, foragida...

Assim sempre tu és... e, apaixonada

Amas-me à flor da pele... da pele suada!...

 

 

Haragano, O Etéreo in Livro de Um Amor

(Gil Saraiva)

09
Abr11

Poemas de um Haragano: Livro XX - Navegar

Gil Saraiva

 

"NAVEGAR"

 

 

Na frescura da derme acetinada

Se reflectem odores de sangue quente...

Reveste-lhe esse corpo a alma ardente,

Que no brilho do olhar se vê espelhada...

 

Génese de uma vida, de uma estrada,

Que apenas é trilhada por quem sente

O ser selvagem, por detrás da mente,

Que no sorrir parece tudo e nada...

 

É morno o toque, doce o paladar,

Fervente o cerne, corpo já sem mágoa,

Que parece nesta hora ir navegar

 

Em taças de luar, em rios de água,

Onde apenas navega uma certeza:

A chama que o amor mantém acesa!...

 

 

Haragano, O Etéreo in Livro de Um Amor

(Gil Saraiva)

01
Abr11

Poemas de um Haragano: Livro XIX - Vida

Gil Saraiva

Vida

 

"Vida"


Pegar numa palavra sem sentido,
Fazer dela poesia, forma, rosto,
Torná-la expressão ou algo imposto
E dar-lhe a melodia, o ar vivido

Das outras com passado já perdido...
Conotar com prazer ou com desgosto
Essa palavra nova, ainda em mosto,
E dar-lhe um coração vivo, garrido...

Fazer dela senhora... mais: Rainha!...
Palavra das palavras, a maior!
Vida: Pode ser uma adivinha,

Um sonho, um riso, um grito ou um condor...
Seja o que for, Vida é sempre minha:
Amada, vida, dor... ou meu amor...


Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus
(Gil Saraiva)

31
Mar11

Poemas de um Haragano: Livro XIX - Vermelha Tempestade

Gil Saraiva

Vermelha Tempestade

 

"VERMELHA TEMPESTADE"


Querer... Já diz quem sabe que é poder;
Poder... Já diz quem tem que é divinal,
Divino... Diz quem sente que, afinal,
Amar é mais profundo... e mais que ter

Qualquer uma outra força pra viver...
Amar... um todo é!... Fundamental...
Amar - A luz mais forte: Capital
De quem pode o caminho escolher!...

Querer... poder... viver... Oh! Mas amar...
Nada é tão forte, quanta intensidade:
É como sentir vermelha tempestade

Nos invadindo a alma e o olhar;
É como ter na mão o infinito;
É querer, poder, viver, em um só grito!


Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus
(Gil Saraiva)