Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Vermelha Tempestade

 

                     XX

 

"VERMELHA TEMPESTADE"

 

Querer... Já diz quem sabe que é poder;

Poder... Já diz quem tem que é divinal,

Divino... Diz quem sente que, afinal,

Amar é mais profundo... e mais que ter

 

Qualquer uma outra força pra viver...

Amar... um todo é!... Fundamental...

Amar - A luz mais forte: Capital

De quem pode o caminho escolher!...

 

Querer... poder... viver... Oh! Mas amar...

Nada é tão forte, quanta intensidade:

É como sentir vermelha tempestade

 

Nos invadindo a alma e o olhar;

É como ter na mão o infinito;

É querer, poder, viver, em um só grito!

 

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

(Gil Saraiva)

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Tudo e Nada

 

            XIX

 

"TUDO E NADA"

 

Amor, num golpe, é espada e cativeiro;

Amor é chave, é vinha e é guarida;

Amor é já, também, a nova vida;

Amor é universo e é celeiro;

 

Amor é flor exposta num canteiro:

Orquídea, rosa, cravo ou margarida?

Não importa saber qual a mais q'rida,

Se em lapela ao amor tomam o cheiro...

 

Amor é coração, amor é dor,

É ter; é ser; é estar; é acordar;

Amor é o primeiro beijo dar;

 

Amor é quando ao vê-la tem calor

Perdida face agora enamorada...

Amor é sempre tudo; é sempre nada!...

 

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

(Gil Saraiva)

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Tu e Eu

 

    XVIII

 

"TU E EU"

 

Unidos, tu e eu, por nosso amor,

Por esse doce amor que em nós nasceu,

E, muito superior ao de Romeu

Ou ao da bela dama Leonor;

 

Amor mais forte que o Adamastor...

E que ninguém se atreva, nem Morfeu,

Nem Júpiter, nem Vénus, nem Orfeu,

A tentar pôr fim ao seu vigor.

 

Tu e eu, no amor que nos juntou,

No amor que jamais nos separou,

Os deuses venceremos, pois unidos:

 

Somos mais fortes do que o forte Marte,

Mais amorosos do que mil Cupidos,

Mais belos e perfeitos do que a Arte!

 

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

(Gil Saraiva)

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Tu

 

 XVII

 

"TU"

 

Tens nessa voz o timbre de outros hinos;

Tens nesse corpo a carne apetitosa;

Tens nessa pele a seda mais sedosa;

Tens belos os teus olhos cristalinos;

 

Tens brilho nos cabelos leves, finos;

Tens nos lábios o rosa de uma rosa;

Tens nos nervos a fibra corajosa;

Tens tu, no sangue, a raça dos latinos!...

 

Tens tudo o que te deu a natureza...

E nada mais de bom podia dar:

Dedicação e calma... mais: sonhar;

 

Carinho, inteligência, amor, beleza...

Só peço a Deus, por tudo o que ele quiser,

Que me faça teu homem... ó mulher!...

 

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

(Gil Saraiva)

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Sonhos de Poeta

 

                XVI

 

"SONHOS DE POETA"

 

Aqui nos encontramos, os amantes,

Entre poemas não ficamos sós...

Dos versos que dizemos somos voz,

Dos outros, que nos dizem, figurantes...

 

Somos um todo uno, por instantes,

Sorrimos e choramos, somos nós...

Afluentes de um mesmo rio, a foz,

Sensíveis... raros, somos os Atlantes

 

Em vias de extinção neste milénio...

Que os sonhos de poeta são morada

Daqueles que ao escrever são mago e fada,

 

Desses pra quem o verso é oxigénio...

E se um final feliz temos por meta

É porque temos sonhos de Poeta...

 

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

(Gil Saraiva)

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Selvagem

 

         XV

 

"SELVAGEM"

 

Passas rebelde, sem olhar ninguém,

Sorris de vida, procuras amor,

Tens a garra e a força do Condor

E duras as palavras para quem

 

Tenta deter-te a ti, sem vir por bem...

Tens no brilho do olhar um fogo, ardor,

Felino de vontades e fulgor,

Ansioso de ser feliz também...

 

Amas de coração, sem ser problema,

E não pareces ser essa ternura,

Que ocultas lá no fundo, em forma pura,

 

Soberana de vida, um diadema!...

Rainha és, num trono de coragem,

Mulher entre as mulheres... Mais: Selvagem!

 

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

(Gil Saraiva)

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Se

 

 XIV

 

"SE"

 

Ai!... Se este viver nosso, em nossa vida,

Tem real importância, na verdade;

Se amor se vive, em nós, em lealdade;

Se não te dás, tu mesmo, por vencida;

 

Se não pensas em breve despedida;

Se choras por, apenas, felicidade;

Se nunca foi, nem é, só caridade

O motivo que a mim te tem unida;

 

Se, para ti, Amor, o amor é arte;

Se, para ti, sou só eu a escultura

Que um certo artista, um dia, retalhou

 

Espero ser, e vir da tua parte,

A vida, o ter, o amor e a ternura,

Que de mim para sempre se apossou...

 

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

(Gil Saraiva)

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Primavera

 

       XIII

 

"Primavera"

 

Agora a Primavera está chegando,

Meu coração, por fim, se torna leve,

Derrete nele a branca e pura neve

Em lágrimas de amor me despertando...

 

Agora com o Inverno terminando

Deixa meu existir a hora breve...

Novas palavras minha pena escreve,

Como gotas de orvalho alimentando

 

A flor de cardo que em minha alma existe...

Agora a Primavera conspirou...

Até ser dia a noite me beijou

 

E o dia me sorriu... porque sorriste...

Gota a gota subiu em arco um véu,

Nosso arco-íris de amor subiu no céu...

 

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

(Gil Saraiva)

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Pérola Oriental

 

               XII

 

"PÉROLA ORIENTAL"

 

Aberta a feia ostra luz se faz,

Um brilho novo nasce natural,

Nasce do feio um belo sem igual,

Estrela da manhã que a noite traz...

 

Tal como de uma guerra brota a paz,

Da feia ostra vem novo ideal,

Pérola, mar, segredo oriental,

Paradoxo sem Deus ou Satanás...

 

A oriental pérola é magia,

Símbolo de natura e perfeição,

Em si contém o brilho da paixão,

 

Tal como a ostra tem a bizarria...

E se a bizarra for a própria dor

É a pequena esfera o vero amor!...

 

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

(Gil Saraiva)

HenriCartoon: "Susan Boyle - A Superestrela da Nova Geração"

O traço divinal de Henrique Monteiro apanha o momento com uma deliciosa precisão....

Susan Boyle

 

O fenómeno não é realmente vulgar. Dentro da ostra sai a pérola que espanta o mundo... e o mundo rende-se à beleza da joia oculta dos olhares, agora exposta pelo mediatismo televisivo e divulgado atá à exaustão pela internet..

Susan Boyle é a ostra e a sua voz a pérola. Coexistem ambas num prepétuo devir que poderia nunca ter conheccido a luz. Perante a beleza oculta rende-se o mundo e a tardia homenagem é prestada com ares de vergonha de quem julgou primeiro pela forma sem conhecer o conteudo.

Susan Boyle é uma das razões pelas quais eu acho que ainda vale a pena acreditar no ser humano. Ela desperta em nós o enternecimento esquecido nas muralhas do mundo economicista em que vivemos.

Deixo um poema dedicado à Pérola...

Gil Saraiva

 

"PÉROLA ORIENTAL"

Aberta a feia ostra luz se faz,
Um brilho novo nasce natural,
Nasce do feio um belo sem igual,
Estrela da manhã que a noite traz...

Tal como de uma guerra brota a paz,
Da feia ostra vem novo ideal,
Pérola, mar, segredo oriental,
Paradoxo sem Deus ou Satanás...

A oriental pérola é magia,
Símbolo de natura e perfeição,
Em si contém o brilho da paixão,

Tal como a ostra tem a bizarria...
E se a bizarra for a própria dor
É a pequena esfera o vero amor!...

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

 

http://www.youtube.com/watch?v=j15caPf1FRk

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Seja Bem vindo ao Twitter

Follow JJGilSaraiva on Twitter

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D