Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

06
Abr11

Poemas de um Haragano: Livro XX - Fim de Tarde

Gil Saraiva

 

“FIM DE TARDE”

 

O fim da tarde chega de mansinho

Ao seu lado trazendo o entardecer,

Mas o melhor de ver a luz descer

É saber meu amor lindo a caminho.

 

Vem do trabalho, de regresso ao ninho,

Atravessa Lisboa pra me ver

E ao chegar, o beijo que eu vou ter,

Faz-me esquecer as horas que sozinho

 

No Jardim da Parada eu esperei.

Campo de Ourique ganha nova vida,

As sombras do jardim viram guarida,

 

Num refúgio de amantes viro rei.

Do banco do jardim eu já governo

Mas só pelo teu beijo viro eterno!

 

Haragano, O Etéreo in Livro de Um Amor

(Gil Saraiva)

05
Abr11

Poemas de um Haragano: Livro XX - Jardim da Parada

Gil Saraiva

 

 

“JARDIM DA PARADA”

 

No Jardim da Parada pulsa vida,

Qual retrato moderno em bairro antigo,

Onde não paira nunca qualquer perigo

Do viver na Lisboa concorrida…

 

Campo de Ourique lá lhe dá guarida,

Agradece o Jardim, se torna abrigo

Das gentes que partilham só consigo

Um espaço quase feito por medida…

 

Teófilo de Braga é o jardim

Onde brincam crianças todo o dia,

Onde uma suecada em alegria

 

Junto ao coreto quase não tem fim…

Cá namoram casais que a tarde tarda…

E a Maria da Fonte a todos guarda…

 

 

Haragano, O Etéreo in Livro de Um Amor

(Gil Saraiva)