Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

29
Nov19

Beijo Ardente

Gil Saraiva

Beijo ardente.jpg

31. Beijo Ardente, excitante e excitado, aquele que provoca a inceneração figurativa dos corpos em desejo impregnado de sensualidade e sexo, de volúpia e lascívia, de prazer e deleite, de carne e luxúria, de concupiscência e ambição, ou seja, ele é o ato que alcooliza os sentimentos, que droga os sentidos, que vícia o espirito, que projeta a alma para universos paralelos onde reina a emoção e que obriga o coração a bombar sangue como se do dilúvio divino se tratasse, tal a abundância frenética de hormonas correndo maratonas, num vai e vem infernal, entre dois seres fundidos num fogo imenso que se alimenta de vida e de paixão.

14
Nov19

Beijo Amante

Gil Saraiva

015 - amante.jpg

16. Beijo Amante, sentir primeiro a pele se arrepiar num frenesim lascivo, de desejo feito carne, sensual em cada toque de mãos, de pele na pele, de corpos se fundindo sem porquê apenas porque a atração é via de um mundo mais perfeito, mais bonito, mais além, com sentimentos cristalinos, justificados pela pureza explicita a que, num só olhar, traduzimos por amor ou bem maior. Depois… depois sentir pelos lábios nos lábios, pela boca na boca, na troca desgovernada de fluidos, gestos e gemidos, cada sentido despertar eletrizante para a vida numa vontade louca que nem explicar sabemos de beijar… Ah, isso é mais que essência, que o todo, isso é viver no deleite supremo de um beijo amante entre amantes.

14
Jun11

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Infinito

Gil Saraiva

 

       X

 

"INFINITO"

 

Um astro brilha lá no firmamento;

Um ponto que me aponta o infinito;

Um cometa indicando um velho mito,

Formado há muito já no pensamento

 

Por não caber no nosso entendimento,

Como não coube no do antigo Egito,

E, nem nessa Índia velha do sânscrito

Ou mesmo até no Novo Testamento...

 

Tantos sonhos pra lá da estratosfera;

Lendas de deuses, Deus, de Lúcifer;

Materialismos, carne... só mister!

 

Ah! Pobres humanos quem vos dera

Poder, como eu, viver qualquer quimera,

No infinito amor desta mulher!

 

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

(Gil Saraiva)

09
Jun11

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Bastou

Gil Saraiva

 

        V

 

"BASTOU..."

 

Nos braços de mulheres, vezes sem conta,

Caí durante um tempo que não sei...

E nos seus ventres foi meu ceptro rei,

Vassalo, escravo, prémio e mesmo afronta...

 

E nos seus lábios minha boca pronta

Bebeu todo um amor que eu não provei...

E porque tudo tive... nada dei,

Apenas saciei-me em carne tonta...

 

Em braços, por mulheres, meu ego andou,

Vampiresco animal por emoções...

Eu fui o outro lado do que sou

 

Somando caras, ventres, erecções...

Mas me perdeu um dia Lúcifer,

Bastou um só olhar de ti... mulher!...

 

Haragano, O Etéreo in Terra de Vénus

(Gil Saraiva)

21
Mai11

Poemas de um Haragano: Livro XXI – Portaló – Quadro da Bahia

Gil Saraiva

 

                PARTE III

 

 

               RETRATOS

 

 

"OS SONETOS DO SONHO" ou

 

 

  "O SORTILÉGIO DO AMOR"

 

                   I

 

 

“QUADRO DA BAHIA”

 

 

No calor amarelo da Bahia,

Passo eu Lua-de-mel inesquecível,

Perdido nessa carne apetecível

Num rodízio de amor e de alegria…

 

Damos na praia as mãos e vibra o dia,

A água à rocha dá beijo impossível,

Conversa a aragem em tons de invisível,

Respondem as palmeiras por magia…

 

Já tem três milhões de almas Salvador

E nós somos só duas de passagem,

Mais dois pontos num quadro da paisagem…

 

Respiramos o povo e somos cor,

No mercado modelo ou pelourinho

Somos da cor do mel, cachaça e vinho…

 

Haragano, o Etéreo in Portaló

(Gil Saraiva)