Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

15
Dez19

Beijo Básico

Gil Saraiva

047 - básico.jpg

47. Beijo Básico, o mais simples e descomplicado de todos os beijos. Inventado por mil e uma razões, entregue sem preconceitos, disseminado entre os humanos e praticado em todos os continentes. Ele serve de cumprimento, de despedida breve, de anúncio de chegada a algum lugar, de bom-dia, boa-tarde ou boa-noite, e ainda de carinho entre pais e filhos. É o mais vulgar e habitual cumprimento de um olá. Dá-se entre amigos e mesmo entre desconhecidos que se apresentam selando o novo conhecimento através dele. Não tem horas nem mesmo regras para ser gerado o que o torna o mais democrático e social beijo conhecido.

06
Dez19

Beijo de Até Amanhã

Gil Saraiva

037 - até_amanhã.jpg

38. Beijo de Até Amanhã, vindo da forja dos que são quotidianos, habituais e quase que automáticos. Dos que começam por ser um simples sinal de despedida, mas que rapidamente ganham formas novas e se transformam numa demonstração de afeto, carinho, amizade, porque se escolhe a quem se dão e não se entregam indiscriminadamente, pela rua fora, a quem por nós passa no crepúsculo de um dia que se esgota. Nada disso, este é um beijo dos que implicam saudade mesmo antes da despedida, de uma despedida qualquer, uma daquelas que nem é sequer um adeus, pois que nele reside, apenas e só, um "até amanhã"…

28
Abr11

Poemas de um Haragano: Livro XX - Se...

Gil Saraiva

 

 

"SE"

 

 

Ai!... Se este viver nosso, em nossa vida,

Tem real importância, na verdade;

Se amor se vive, em nós, em lealdade;

Se não te dás, tu mesmo, por vencida;

 

Se não pensas em breve despedida;

Se choras por, apenas, felicidade;

Se nunca foi, nem é, só caridade

O motivo que a mim te tem unida;

 

Se, para ti, Amor, o amor é arte;

Se, para ti, sou só eu a escultura

Que um certo artista, um dia, retalhou

 

Espero ser, e vir da tua parte,

A vida, o ter, o amor e a ternura,

Que de mim para sempre se apossou...

 

 

Haragano, O Etéreo in Livro de Um Amor

(Gil Saraiva)