Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

30
Jul11

Poemas de um Haragano: Nos Caminhos da Flor – Néctar

Gil Saraiva

 

       X

 

"NÉCTAR"

 

O Néctar dos Deuses,

Um tal de hidromel,

Pode ser divino,

Digno de tão elevados seres,

Mas não tem o sabor do nosso amor...

Não sabe a vida e a eternidade,

Não tem a plenitude num mero segundo,

Não nos faz sentir que existimos

Porque precisamos de viver

Para poder tocar o infinito

No espaço estrito

De um simples olhar...

 

O Néctar dos Deuses

Pode ser divino,

Pode ser perfeito,

Pode ser puro,

Pode ser cristalino,

Pode ser indescritível,

Mas não é absoluto

Como nós...

 

Somos um ser total

Em construção,

Estamos para além

Dos sentidos

E dos sentimentos,

Somos o futuro,

A esperança e a alegria

Das nossas próprias almas...

 

O Néctar dos Deuses

Pode ser divino,

Mas não tem a graça

Do teu sorriso,

O perfume do teu ser,

A alma desse corpo

Onde me perco de mim,

Para despertar num tal de nós...

 

Se és a flor oculta

Deste meu existir,

Até aqui perdido,

Eu mais nada quero ser

Do que a terra

Onde cada uma das tuas raízes

E todas elas

Se alimentam até à eternidade...

 

Até à eternidade

Numa sede sem fim

E que por convenção

Chamamos de amor!...

 

Eu te amo!

 

O Néctar dos Deuses

Afinal não é importante...

 

Haragano, O Etéreo in Nos Caminhos da Flor

(Gil Saraiva)

12
Jul11

Poemas de um Haragano: Achas de um Vagabundo – Música

Gil Saraiva

 

 

      VIII

 

"MÚSICA"

 

A música tem o espaço invadido

De ternas melodias...

 

No bar,

A tela sem som,

Transmite ilusões

De novelas sem fim...

 

A cena,

Com contornes de virtualidade,

Faz-me ver-te ali...

Do outro lado do bar,

Na penumbra das luzes

Em perpétua difusão...

 

Ali...

Nessas formas

Desse corpo que sonho;

Nas margens desse teu cabelo,

Onde os meus dedos anseiam

Perder-se um dia mais...

 

Procuro,

Com ânsia adolescente,

O teu olhar,

Profundo...

Oculto...

Magnífico...

E sinto-o no sorriso

Desses lábios

Que Mona Lisa invejaria ter...

 

Porque não falas?

A espera

É como um incêndio de floresta...

Consome tudo em seu redor...

Devora o íntimo do ser e...

Mesmo assim...

É divino o prazer

Da ansiedade...

 

A música

Tem o espaço invadido

Do teu ser...

E a tela,

Sem som,

O sorriso mudo dos teus olhos!

 

A cena faz-me imaginar

Contornes de impossível...

E na penumbra das luzes

O sonho aparenta

Um perpétuo devir...

 

Haragano, O Etéreo in Achas para um Vagabundo

(Gil Saraiva)

17
Dez08

Divino Infinito

Gil Saraiva

Divino Infinito

"DIVINO INFINITO"

Vagabundo Dos Limbos,
Haragano, O Etéreo,
Vagueio pela net
Olhando todos
E ninguém,
Como quem olha as montras
Sem poder comprar,
Como quem tem fome de existir
Nos sentimentos profundos
De outro alguém...

Como quem procura a eternidade
Sem saber que ser feliz
Se encontra
Num simples e mágico segundo...

Sou como quem
Inesperadamente descobre
Que o segredo do amor
Começa em si mesmo
Mas que tem de terminar
Num outro alguém
Para se desvendar
Em farrapos de divino infinito
Em nossa alma...

Haragano, O Etéreo in Espelho de Água