Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visível o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, tudo o que a imaginação me permite

Serve este local para tornar visível o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, tudo o que a imaginação me permite

Desabafos de um Vagabundo: A Inspiração de Isa Nascimento

A Inspiração de Isa Nascimento.gif

A INSPIRAÇÃO DE 

ISA NASCIMENTO

Os Desabafos de um Vagabundo têm na sua essência uma coisa excelente: Não estão sujeitos a tema. Para além disso, também não obedecem a formas, conteúdos ou algo que não venha da mais pura inspiração do momento. Mais uma vez, e para que não se pense que só elogio, ou quase, a poetisa Isa Nascimento, passo para este espaço a última critica que escrevi a propósito de um poema de Isa chamado “Inspiração”. (O poema pode ser visto e lido no blog em: https://isanascimento.blogs.sapo.pt/inspiracao-109612). A poetisa dá nos seus versos uma definição de inspiração com a qual eu não encontro concordância.

Passemos ao poema da autora, depois à imagem com que ilustra o mesmo, também de sua autoria e finalmente poderão ler a minha análise.

“Inspiração

A inspiração é um assomo

Uma larva que trepa pelo corpo acima

Tomando conta num ímpeto

Assumindo o controlo

Até brotar numa qualquer criação

 

A inspiração é um alento

Uma força motriz que te impele à força

Levando-te para sítios que desconhecias

Fazendo sair das tuas mãos

Algo que nem sabias que existia

 

A inspiração é um oásis

Uma fugaz miragem que rápido se desfaz

Tão rápido que já lá vai

Às vezes sem um ato criador

Um traço, uma palavra

Um grito ou uma gargalhada

Sem nada deixar para trás

 

A inspiração é uma joia

Rara e preciosa

Tem dias que brilha transbordante

Noutros uma mera utopia

 

Julho de 2021 – Isa Nascimento”                               (foto de Isa Nascimento)

Inspiração IN.jpgComentar ou não comentar? Heis a questão.

Comentar, pois a minha amiga Isa prefere que eu comente. Contudo, de que vale um comentário? Nunca sei muito bem. Se é um elogio afaga o ego de quem lê, mas sendo, no meu entender, tem de ser sincero, pois inversamente não passa de pura hipocrisia. Se é uma crítica... bem, vale o que vale, quer dizer que se fosse feito por nós seria diferente. Nem sequer significa que é mau, mesmo que o achemos péssimo. Afinal, essa é apenas a opinião de quem lê e de apenas de um leitor.

No caso de hoje senti-me exatamente quando, por engano, vejo um filme com cenas de operações passadas na mesa do bloco operatório: fico nervoso, irritadiço e muito apreensivo. É evidente que quando pensei em "Inspiração" não me passou sequer pela cabeça o ato de respirar, mas mais valia que tivesse passado. Todavia, transportei-me para o meu estro e dai, quase de imediato, para o estro do meu plectro. Foi nesta viagem e associação que o choque se tornou profundo. Eu explico:

1) "assomo" é uma palavra que significa aparecimento, é verdade, mas normalmente um surgimento negativo, quase que irritado e normalmente carregado de desconfiança. Ligá-lo à inspiração colocou-me de imediato em alerta.

2) "Uma larva que trepa pelo corpo acima". Jesus, Maria José! (diria a minha mãe, querendo apenas dizer "Credo!"). Odeio lagartas, mas larvas, então, fazem parte do meu imaginário de cenas que sempre envolvem momentos terror.

3) "Uma força motriz que te impele à força", Foi o mesmo que tivesse lido «uma força motriz que me impele à forca», Nunca senti que a inspiração, a minha, está claro, me obrigasse a fosse o que fosse, ainda por cima contra vontade, e isso, colocou-me, uma vez mais, em luta com o poema.

4) "A inspiração é um oásis

Uma fugaz miragem que rápido se desfaz

Tão rápido que já lá vai

Às vezes sem um ato criador

Um traço, uma palavra

Um grito ou uma gargalhada

Sem nada deixar para trás"    (excerto do poema de Isa Nascimento)

Sobre a presente estrofe só me apetece dizer: só se for a sua, menina Isa, porque a minha inspiração, quando vem, pode até ser um oásis, mas dos reais, sem miragens, pelo que não desaparece sem que o ato criativo seja nato. É impossível concebê-la e pensar que possa não deixar nada para trás.

5) "utopia", o fecho não é mais carinhoso que o começo. Utopia? Como utopia? Se é inspiração produz sempre um ato criativo, nem que eu seja o único a gostar dele, e por criativo eu quero dizer rico de conteúdo e significado. O meu estro não tem nada de utópico mesmo que imagine uma utopia.

Em resumo, minha querida amiga Isa, aqui no entender deste leitor faltou inspiração para falar na dita cuja. Apesar de tudo, se acha que não tenho razão, provavelmente está certa e eu errado, só que, mesmo que assim seja, mantenho a minha opinião.

 

Gil Saraiva

 

 

 

Desabafos de um Vagabundo: O que se passa em Campo de Ourique - Entrevistas à Mesa do Café

Campo de Ourique - Entrevistas à Mesa do Café.jp

O que se passa em Campo de Ourique

Entrevistas à Mesa do Café

Inicia-se, durante este mês de junho, uma nova rubrica anunciada aqui nos Desabafos de um Vagabundo, mas que terá seguimento na Carta à Berta. Tratam-se das “Entrevistas à Mesa do Café”, todas sobre quaisquer temas, pessoas, lojas, restaurantes, monumentos ou pontos de interesse do Bairro de Campo de Ourique.

Para além de entrevistas sobre temas ou pessoas que, por algum motivo, me chamem à atenção enquanto contador de histórias do nosso bairro, estas entrevistas estão abertas a todos os que tenham uma qualquer situação de interesse a partilhar com todo o bairro. Dou um exemplo; uma geladaria do nosso bairro enfrenta sérias dificuldades para conseguir sobreviver à pandemia e corre o risco de fechar. Por intermédio de uma cliente do espaço chegou ao meu conhecimento a difícil situação que atravessa. Assim, com o acordo dos proprietários, marquei aquela que será uma das primeiras entrevistas desta rubrica.

Todos os interessados que têm algo para partilhar, mas que precisam de uma ajuda para expor uma situação, que tem obrigatoriamente de se situar dentro das fronteiras do bairro de Campo de Ourique, podem solicitar uma entrevista para o meu email: saraiva.gil@gmail.com e deixar o seu número de telemóvel para posterior contacto da minha parte. Se eu considerar que o assunto merece divulgação marcarei posteriormente uma entrevista com a pessoa para que o possa divulgar.

Não imagino sequer se esta rubrica terá muitos capítulos, mas terá os que forem precisos. Serão pelo menos duas cartas. Conforme as adesões, a rubrica terá ou não seguimento. Agradeço a todos os grupos de Campo de Ourique a divulgação destas entrevistas. A tentativa é dar voz a quem não tem tempo ou queda para pôr por escrito o que tem para contar aos outros. Obrigado.

Gil Saraiva,

Carteira Profissional de Jornalista 5003 A

 

 

 

Vídeos de Campo de Ourique - Para um Dia Recordar - As Perspetivas III / IV / V / VI

12.JPG

Videos da Memória de Campo de Ourique.

Para um dia recordar...

 

III - A perspetiva do Market Canal - Tunga TV - Abril de 2015

 

IV - A perspetiva de Joana Balaguer - Julho de 2017

 

V - A perspetiva do Propagando Vlog - Janeiro de 2021

Rolê por Campo de Ourique. Conheça uma das melhores freguesias de Lisboa.

 

VI - A perspetiva da TVI - Novembro de 2015

Nota: a partilha destes vídeos está sujeita a poder ser retirada pelos autores da internet em qualquer momento e deixar de ficar acessível devido a esse facto. Alguns deles incluem publicidade o que é totalmente alheio aos Desabafos de um Vagabundo. A sequência dos vídeos da memória de Campo de Ourique irá intercalar os "Registos da Memória" atualmente em curso nos Desabafos.

 

 

 

Vídeos de Campo de Ourique - Para um Dia Recordar - A Perspetiva Inglesa - II

07.JPG

Videos da Memória de Campo de Ourique.

Para um dia recordar...

II - A perspetiva inglesa do Bairro de Campo de Ourique em abril de 2019

Nota: a partilha destes vídeos está sujeita a poder ser retirada pelos autores da internet em qualquer momento e deixar de ficar acessível devido a esse facto. Alguns deles incluem publicidade o que é totalmente alheio aos Desabafos de um Vagabundo. A sequência dos vídeos da memória de Campo de Ourique irá intercalar os "Registos da Memória" atualmente em curso nos Desabafos.

 

 

 

Vídeos de Campo de Ourique - Para um Dia Recordar - A Perspetiva Brasileira - I

09.JPG

Videos da Memória de Campo de Ourique.

Para um dia recordar...

I - A perspetiva brasileira do Bairro de Campo de Ourique em Novembro de 2020

Nota: a partilha destes vídeos está sujeita a poder ser retirada pelos autores da internet em qualquer momento e deixar de ficar acessível a partir desse facto. Alguns deles incluem publicidade o que é totalmente alheio aos Desabafos de um Vagabundo. A sequencia dos vídeos da memória de Campo de Ourique irá intercalar os "Registos da Memória" atualmente em curso nos Desabafos.

Gil Saraiva

 

 

 

Registos da Memória - Brasil - Pipa - I - A Rocha da Pipa

Brasil Pipa 01.JPG

(Brasil - Pipa – I – A Rocha da Pipa - Foto de autor, direitos reservados)   

Registos da Memória

I

Brasil – Pipa

A Rocha da Pipa

 

Tendo, dois anos antes, visitado Pipa de passagem, regressei ao Nordeste do Brasil e, desta vez, focado em Pipa. Trata-se de um destino turístico de classe média, ou média-baixa, em que a imaginação e alma fazem mais pela terra, do que o progresso e a tecnologia. Todo o meio urbano lembra uma favela reciclada e vestida com roupagens de vila antiga, dedicada à praia e ao turismo. Os investimentos fracassados ombreiam, lado a lado, com os que, por sorte ou solidez de investimento vingaram e prosperam.

Cedo descobri de onde vinha o nome da estância balnear. Porém, metade dos residentes não sabe o porquê, o que para um lusitano parece estranho. Ora, na baia onde Pipa recebe o Atlântico há uma pequena rocha cilíndrica, com mais de quinhentos anos de história, mesmo na ponta do cabo. É essa rocha (dizem-me que já foi maior e mais circular) que dá o nome à estância. Pipa chama-se Pipa, porque, por altura dos descobrimentos, à chegada à pequena baía, os marinheiros portugueses acharam que a rocha se assemelhava a uma pipa. Encontrado o nome de forma tão natural, não houve capitão ou comandante com coragem para escolher outro (normalmente com nome de santo católico ou, pelo menos, de índole religiosa).

Gaviões, águias e urubus, guardam, segundo reza a lenda, a afamada pipa (conforme pude inclusivamente fotografar), porque, algures ali perto, se esconde, há centenas de anos, um tesouro imenso, fruto dos primeiros saques feitos na região. Teve de ser escondido pois o mar revolto não deixou as embarcações saírem da baía e zarparem oceano adentro depois dos roubos. A fortuna enterrada teria sido coberta por uma carapaça de uma tartaruga gigante que servira de alimento aos oficiais encarregues da missão.

Diz ainda a lenda que o espírito da tartaruga fez com que os humanos se esquecessem do local exato do tesouro, como castigo pelo saque e pela morte da centenária tartaruga. Segundo os velhos anciãos, enquanto a carapaça cobrir o tesouro, ele jamais será encontrado…

Gil Saraiva

 

 

 

5 DE JULHO - O ANIVERSÁRIO SECRETO DE CAMPO DE OURIQUE

Aniversário.jpg

Dia 5 explico porquê. Esteja atento(a). Para quem já sabe por favor não estraguem a surpresa. Basta comentarem: "Eu já sabia." A todos o meu muito obrigado. Celebraremos, pelo menos por aqui, um aniverário de um bairro tão nosso e tão único. Pode ser que um dia o poder político reconheça a data. Nunca se sabe.

E, mais uma vez, obrigado.

 

Gil Saraiva

 

 

 

 

Agradecimento e Esclarecimento Facebook

Gil 01 março 2020.JPG

Agradecimento e Esclarecimento para

os Grupos ligados a

Campo de Ourique

 

A todos os elementos deste grupo e dos outros 4 e foram vários, que me contactaram, para saber porque não coloco a última Carta à Berta, sobre o SNS e Marta Temido,  aqui, cumpre-me esclarecer que sigo as normas dos grupos, ou seja, se um artigo, neste caso uma carta, não tem conteúdo direta ou indiretamente ligado a Campo de Ourique não faz sentido vir colocá-lo nesta página. Agradeço o interesse, mas conforme acabei de informar pretendo manter as regras do grupo, como utilizador comum que sou, perfeitamente igual a todos vocês. Se estiverem interessados nas cartas à Berta que não dizem respeito ao bairro podem consultá-las em https://alegadamente.blogs.sapo.pt, depois, no lado direito basta procurar o calendário e escolherem o dia que pretendem consultar. O mesmo se passa com os cartoons, basta procurar em https://gilcartoon.blogs.sapo.pt, para os poemas em https://estro.blogs.sapo.pt e para os beijos em https://plectro.blogs.sapo.pt. A todos muito obrigado pelo carinho e interesse demonstrado. Agradecido e sensibilizado, sempre ao vosso dispor,

Gil Saraiva

 

Beijo Envergonhado

112 - envergonhado.jpg

113. Beijo Envergonhado dado de forma embaraçada, suavemente, no rosto de quem se quer bem, não sem antes se ter passado por um processo de extrema complexidade… Primeiro no desenvolvimento da ideia (porque a vontade, esse desejo interior de beijar, seria por certo forte desde o primeiro momento). Depois a aproximação gradual, lenta (e quase que em pânico constante de se poder cometer um erro), à pessoa escolhida. Por fim o segundo em que o beijo é desferido (sim, porque por receio a duração será obviamente curta, quase curta demais para ser sentido por quem o recebe), naquela face suave que o acolhe, sem que nunca a recetora sequer possa imaginar como tal feito foi épico e glorioso. Um beijo entregue timidamente, envergonhado, de um modo ténue, como quem colhe uma flor silvestre, num passeio pelo campo na beira de um caminho, e a entrega, de braço estendido cobrindo o rosto, à dama que lhe roubou o coração.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Seja Bem vindo ao Twitter

Follow JJGilSaraiva on Twitter

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub