Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

14
Dez19

Beijo Bandido

Gil Saraiva

046 - bandido.jpg

46. Beijo Bandido, sacado à margem da lei. Descaradamente roubado de uma derme suave numa berma de estrada, de surpresa, sem aviso prévio, sem qualquer consentimento, numa noite de primavera à luz da Lua Cheia sob um céu de estrelas e constelações que parecem conspirar neste ato marginal da mais brutal ternura, numa noite onde tudo se conjuga para levar de vencida esta saga clandestina sem sofá, rosas ou concordância. Beijo roubado, atrevido, perverso na atitude, sensual na toma, adorado pela vítima, aquele que para sempre aprisionou o ladrão.

04
Dez19

Beijo Assado

Gil Saraiva

 

035 - assado.jpg

36. Beijo Assado, quiçá com castanhas, regado com jeropiga, acompanhado por uma lareira crepitante, numa sala de granito antigo com grandes traves de carvalho e faia a rasgar as paredes, ao som de uma canção clássica de Paulo Gonzo, entre amigos, numa noite aberta e luminosa de Lua Cheia, onde o frio nos faz sentir o doce conforto do calor do fogo e das amizades envolventes, rindo entre conversas de uma banalidade sem meias palavras e onde conviver parece ser realmente o mote mais importante. Um beijo assim dá-se a quem se quer bem, sem subterfúgios, sem malícias, sem truques e por absoluta vontade de partilhar o momento de forma simples, sincera e singular.

22
Abr11

Poemas de um Haragano: Livro XX - Estrela

Gil Saraiva

 

"ESTRELA"

 

 

Na noite hiper-estrelada procurei

Sob o brilho do Verão, à Lua Cheia,

A estrela mais brilhante da cadeia...

Mas desse cintilar todo encontrei

 

Apenas uns reflexos, mera grei,

Coisas pequenas como a Cassiopeia,

Sem alma, sem chama ou epopeia...

Na noite hiper-estrelada eu tentei

 

Achar o diamante mais perfeito,

Um tal que me aplacasse a agonia

Da saudade inflamada no meu peito...

 

Na noite hiper-estrelada fez-se dia,

Ao encontrar a Estrela, amor, enfim,

Brilhando nos teus olhos para mim!...

 

 

Haragano, O Etéreo in Livro de Um Amor

(Gil Saraiva)

03
Mar09

Lua Cheia 03/03

Gil Saraiva

Luar

 

"LUA"

É sexta-feira, 13, e é cheia a Lua...
Na noite clara as mentes dormem já,
Paira no ar o som de um bacará
No sussurrar cristálico da rua...

Ofusca a luz da noite a forma nua,
Os corações repletos de oxalá,
Os corpos clandestinos de sofá,
E o supremo prazer que se acentua...

Por toda a parte ascendem mil amplexos
E crescem movimentos murmurados...
Vampiros, lobisomens, estão fechados

Porque esta noite imperam nossos sexos...
E num acto de amor meu corpo sua...
É sexta-feira, 13, e é prenhe a Lua...

Haragano, O Etéreo in Noites Perdidas

Uivo à Lua