Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

07
Jun11

Poemas de um Haragano: Terra de Vénus – Amar

Gil Saraiva

 

    III

 

"AMAR"

 

Amar, amar e só amar alguém;

Amar, por toda a vida, eternamente;

Amar, quem só nos ama, loucamente,

Amar, como Florbela... usar também

 

Por mote um de seus versos, que diz bem:

"Eu quero amar, amar, perdidamente,"

No futuro, passado, no presente,

Amar como eu nunca amei ninguém...

 

Amar quem nesse amor se adora e ama,

Em chamas de alegria e de calor,

Amar, por quem meu corpo arde, chama;

 

Chama que arde e dura por amor...

Amar, amar, amar, essa ternura,

Essa mulher que sonho ser loucura...

 

Haragano, O Etéreo in Terra De Vénus

(Gil Saraiva)

29
Mai11

Poemas de um Haragano: Livro XXI – Portaló – D. Quixote

Gil Saraiva

 

           X

 

"D. QUIXOTE"

 

Um sorriso do olhar... simples, mais nada...

Fazer parar o tempo nessa hora,

Saber morrer de amores, p’la vida fora,

Apenas p’lo teu ar de apaixonada...

 

E, então, te ver brilhar, de alma encantada,

Nesse crepuscular que a serra adora...

Sentir-te, à luz da vela acesa, agora,

A cintilar de vida, porque amada

 

Te sentes hoje, pra sempre, meu amor,

Vida, que me cativa e prende enfim...

Ah! Como é bom ser teu e ter em mim

 

Tudo o que sou, pra dar-me em mais furor...

E se me és Dulcineia, verso, mote:

Faz, por amor, de mim teu D. Quixote!...

 

Haragano, o Etéreo in Portaló

(Gil Saraiva)

18
Abr11

Poemas de um Haragano: Livro XX - D. Quixote

Gil Saraiva

 

"D. QUIXOTE"

 

 

Um sorriso do olhar... simples, mais nada...

Fazer parar o tempo nessa hora,

Saber morrer de amores, pla vida fora,

Apenas plo teu ar de apaixonada...

 

E, então, te ver brilhar, de alma encantada,

Nesse crepuscular que a serra adora...

Sentir-te, à luz da vela acesa, agora,

A cintilar de vida, porque amada

 

Te sentes hoje, pra sempre, meu amor,

Vida, que me cativa e prende enfim...

Ah! Como é bom ser teu e ter em mim

 

Tudo o que sou, pra dar-me em mais furor...

E se me és Dulcineia, verso, mote:

Faz, por amor, de mim teu D. Quixote!...

 

 

Haragano, O Etéreo in Livro de Um Amor

(Gil Saraiva)