Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visível o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, tudo o que a imaginação me permite

Serve este local para tornar visível o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, tudo o que a imaginação me permite

Beijo Zonzo

435 - zonzo.jpg435. Beijo Zonzo, simples de explicar e mais fácil ainda de o poder dar. Contudo, não se trata de um ato para tontos. Nada disso, é adur um beijo que requer amor. Não apenas amizade, pois ela não provoca o efeito necessário para que este se concretize. É preciso sentir muito mais do que simpatia. Tem de se gostar, para que nos possamos sentir aturdidos pelo impacto que em nós provoca. Beijar alguém que amamos possui, em si mesmo, o assombro de nos entorpecer os sentidos uma vez que são os sentimentos que lhes ocupam o lugar. Sentimo-nos estonteados, saciados na alma, completos no espírito, grandes no coração e tudo porque provamos do milagre que nos torna humanos. Embaciados pela torpe sensação de um beijo que nos desequilibra os sentidos e nos faz desejar ir mais além.

 

 

 

Beijo de Zénite

434 - zénite.jpg

434. Beijo de Zénite, um beijo de topo, de cume, de quem percorreu um extenso, demorado e às vezes penoso trilho para, enfim, chegar a onde ansiava por estar. Ou seja, depositando o seu beijo mais ardente na face, nos lábios ou na pele daquela pela qual todo o trajeto foi executado. Um beijo ganho palmo a palmo. Conquistando a confiança, depois a amizade, mais à frente a admiração, seguida de respeito que acaba por culminar em amor, paixão, loucura ou todas elas. Porque este é um beijo bafejado pelo auge, impregnado de conquista, embebido em absolutos de apogeu.

 

 

 

Desabafos de um Vagabundo: "O Colecionador de Beijos" - Agradecimento

O Gil.JPG

“O Colecionador de Beijos” termina a sua divulgação já na próxima sexta-feira com a publicação do último beijo do livro. Chegam assim ao fim os 435 dias seguidos, e os respetivos 435 beijos, na senda de divulgar as formas de partilhar um beijo afirmativo, de acordo com o editado em 2019 no meu livro pela Chiado Books.

A todos os que visitaram o blog no decurso desta divulgação, num total de 16.550 visitas o meu agradecimento pelo apoio prestado. O livro está à venda online e em algumas das principais livrarias do país. Também o posso enviar assinado e dedicado a quem o desejar. Nas livrarias o preço de capa é de 16 euros e na maioria os portes são grátis.

Contudo, enviado por mim autografado, como pago portes e envelope, o valor é de 20 euros para Portugal continental e ilhas e, para tal, basta enviarem-me um pedido pelo blog, por mensagem ou por correio eletrónico para saraiva.gil@gmail.com. Porém, o intuito da divulgação dos beijos foi precisamente inverso à venda, ou seja, levar a quem não pode ou não quer adquirir o livro, cada um dos beijos descritos na coleção.

A seu tempo divulguei no blog “Desabafos de um Vagabundo”, em https://alegadamente.blogs.sapo.pt na “Carta à Berta”, entre 16 de novembro e 21 de novembro passado, o estudo realizado para este ensaio sobre o beijo. O objetivo era dar a conhecer o conteúdo restante da obra, as motivações e as investigações em torno da mesma.

Não imagino o que se seguirá nos Desabafos de um Vagabundo. Sinceramente ainda não pensei no assunto. Mas espero ter agradado a quem me seguiu, a uma média de 38 leituras por dia ao longo de 435 dias consecutivos. Estou feliz por ter alcançado e ultrapassado o meu objetivo e devo isso a todos quantos se mantiveram fiéis na leitura dos beijos. Por isso aqui vim deixar o meu mais sincero e profundo obrigado, porque terminarei feliz esta viagem que fizemos juntos.

Gil Saraiva

 

 

 

Beijo Zen

433 - zen.jpg

433. Beijo Zen, algo que poderá ser descrito pela forma como é entregue à destinatária do mesmo. Sempre de uma forma calma, sem pressas, esperando o consentimento da recetora e aguardando, pacientemente, pelo sorriso final, que nos deixará com a certeza de uma entrega feita com ternura, muito carinho, mas, principalmente, de uma entrega bem aceite. É aí que reside o segredo Zen. Na confirmação de que conseguimos provocar bem-estar a quem o destinámos e a quem desejávamos ver bem. Beijo Zen, entregue num ambiente relaxante, instigando a líbido ao frenesim erótico que ele próprio contraria.

 

 

 

Beijo Zéfiro

432 - zéfiro.jpg432. Beijo Zéfiro, poderia dizer-se, igualmente, beijo Favónio, em homenagem ao deus romano que simbolizava os ventos favoráveis. Porém, Zéfiro, o deus da mitologia grega dos ventos de Oeste é bem mais apelativo. É ele o criador dos ventos de brisa, filho de Aurora e Astreu. O seu sopro era de tal forma fecundo, principalmente com o chegar da primavera, que emprenhava com ele as éguas da Lusitânia. Esta terra onde hoje é Portugal. Tornava assim os cavalos nascidos na região os mais velozes de toda a civilização então conhecida. Ora, este deus, que vivia na Trácia, que fazia fronteira com a Macedónia, era um benfazejo e o verdadeiro mensageiro da primavera, comandando plantas e animais. Um beijo Zéfiro é, portanto, um beijo fecundo, que vem por bem e que chega na estação do acasalamento, com intentos de futuro, terminando num rosto como a brisa morna de uma manhã clara, na boca com repentes de provir, no ventre com votos de gravidez e propagação.

 

 

 

Beijo de Yuppie

431 - yuppie.jpg431. Beijo Yuppie, um daqueles que parecendo originário de uma maturidade profunda tem muito mais de juventude, de vivacidade, de urbe e mesmo até de inteligência do que aparenta. É o beijo que lutou pela vitória, aquele finalmente triunfante. O que se desejava dar há muito tempo, mas que estava difícil de alcançar. Ele é, enfim, o beijo que se atinge, levando ao grito de alegria que explode dos confins da alma. Exige planeamento, estudo cuidado da dama a quem se destina, por forma a não sair gorado ou a ser rejeitado por quem se quer e deseja. O beijo yuppie transporta na bagagem a corte romântica, como preliminar, a felicidade, na entrega ciente de aceitação e o grito pleno de pulmões no momento do ato. Beijo yuppie, descendente direto do provérbio: "quem espera sempre alcança". Filho da vitória, arrojado ato de enlace conquistado a pulso, mas entregue com os lábios.

 

 

 

Beijo Yin-Yang

430 - yin yang.jpg430. Beijo Yin-Yang, é aquele que segue a linha taoista de que tudo no Universo se passa na dualidade das coisas. Tudo se encontra envolvido por forças opostas, mas complementares, que se completam para existirem em perfeição e equilíbrio. O Yin representa sempre o lado feminino, a água e a calma. Já, por outro lado, o Yang, retrata o masculino, o fogo e a ação. Podem até possuir outros antagonismos entre eles, mas sem relevo para o beijo em causa. Beijo yin-yang, aquele em que o casal se beija consciente das diferenças que os caraterizam, mas evidentemente convicto de tudo o que os une. Beijo Yin-Yang, em que o tocar dos lábios se faz por dentro das auras, fundindo essências, na mais perfeita das harmonias, certo de uma glória que roça os céus da plenitude e se aloja, sorrindo, no âmago rendido de dois egos.

 

 

 

Beijo de "Yahoo!"

429 - yahoo.jpg

429. Beijo "Yahoo!", é sempre um beijo que implicou um grande desafio para uma das partes. Um beijo finalmente conseguido, que foi prevalecente na entrega, com a anuência consciente de quem o recebe. Normalmente confundido com o beijo yuppie, pela semelhança entre ambos. Porém, enquanto este último aconteceu porque, por sorte, teve o acato da destinatária, o primeiro implicou uma luta bem diferente. O beijo “Yahoo!” é um beijo de conquista, de um desejo viril, de consentimento rendido ao ser aceite pela destinatária. Tal como um rio, que ao nascer na sua fonte, no alto das serras, perde o sentido se não chegar um dia, finalmente, à foz, o beijo “Yahoo!”, exige fome de vencer, luta e conquista inequívoca do triunfo absoluto.

 

 

 

Beijo de "Yes!"

428 - yes.jpg428. Beijo de "Yes!", pese embora o facto de esta afirmativa ser uma palavra de língua inglesa, o seu uso tornou-se universal para expressar o triunfalismo sentido pela conquista de algo. No caso, um beijo que custou a atingir. Seja isto porque a dama passava por nós e não nos via, seja porque, simplesmente, não conseguíamos encontrar a pessoa certa. Existem ainda as situações de incerteza, falta de confiança, insegurança ou timidez que nos impediram, por um ou outro processo, de dar os passos devidos para lá chegar. Porém, não sendo um beijo de amor é o mais perfeito para nos fazer crescer enquanto gente, aquele que nos ensina a lutar, a enfrentar todas as adversidades, a seguir um caminho e a avançar por ele passo a passo. Beijo de "Yes!", porque afinal beijar assim valeu o esforço, a caminhada e colhemos o prémio com a simples concordância de um ser feito mulher, em nossa boca.

 

 

 

Beijo de Ano Novo

020 - ano novo.jpg21. Beijo de Ano Novo, antes de mais trata-se de um ato feliz, de partilha de uma passagem entre o que acaba para um novo ciclo que se inicia. Será sempre um beijo entregue entre borbulhas de champanhe, ao som de foguetes eclodindo pelos céus distribuindo figuras, imagens e cores garridas que tornam humilde o mais imponente arco-íris. A dado instante, por entre toda a gente que festeja, procuramos com o olhar ávido a quem queremos bem, brindamos, cumprimos os rituais e trocamos um beijo intenso, seguro, absoluto e decidido como poucos outros, é o mais perfeito rito de cumplicidade, de entrega e de certeza, sendo igualmente perfeito quer na amizade como no amor. Beijo a dois, entre mil, sem Covid, sem máscara, na intimidade mística do dois em um, beijo de luta, de resistência e de esperança, enfim beijo de Ano Novo em 2021.

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Seja Bem vindo ao Twitter

Follow JJGilSaraiva on Twitter

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub