Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

25
Abr09

Balada do 25 de Abril 25/04

Gil Saraiva

Cravo de Abril

BALADA DO 25 DE ABRIL

Na negra noite andaste
Décadas mudo, sem pio,
Ai, nessa vida passaste
De emigrante a vazio...

Anos assim de tortura,
Silêncio sem liberdade...
Pra ganhar à ditadura,
Tens que morrer com vontade...

Quarenta e três, um a um,
Anos de fome, ilusão,
Criaram força incomum,
De resistir na prisão...

E o vinte e cinco de Abril
Foi madrugada dos bravos
Capitães que no fuzil
Trocaram balas por cravos...

E cantar Sérgio Godinho,
Zeca Afonso e outros mais,
É ser na voz adivinho
Daquele Abril de imortais...

Na negra noite andaste
Décadas mudo, sem pio,
Ai, nessa vida passaste
De emigrante a vazio...

Sempre lutar contra engodos,
Contra a PIDE e o calar,
Nasce o Sol, é para todos,
Cabeça erguida a sangrar...

E o vinte e cinco de Abril,
Foi madrugada dos bravos
Capitães que no fuzil
Trocaram balas por cravos...

E agora que o Sol nasceu,
Na noite clara de Abril
Vão trita e três, conto eu,
São os primeiros de mil...

Na negra noite andaste
Décadas mudo, sem pio,
Ai, nessa vida passaste
De emigrante a vazio...

Mas tão curta é a memória
De um povo que já esqueceu
Que Salazar tem na História
A nossa noite de breu...

E o vinte e cinco de Abril,
Foi madrugada dos bravos
Capitães que no fuzil
Trocaram balas por cravos...

De ecónomia vivemos,
Pra nos manter lutamos,
Se casa e emprego temos,
Quem nos pergunta onde vamos?

Somos imposto, tributo,
Finanças ocas, impostas,
Mas não estou só, num reduto,
Tem mais querendo respostas!

Que o crepusculo a madrugada
Anuncie sem ter saudade...
Queremos não ver estragada
Nossa razão, liberdade!

E o vinte e cinco de Abril,
Foi madrugada dos bravos
Capitães que no fuzil
Trocaram balas por cravos...

Aqui! Posto de Comando
Do Movimento das Forças Armadas!...

Haragano, O Etéreo in Século XXI

MFA e Povo no 25 de Abril