Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

Desabafos de um Vagabundo

Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

14
Fev20

Beijo de Namorados

Gil Saraiva

258 Beijo de Namorados.jpg

258. Beijo de Namorados, obrigatoriamente um beijo envolvente, arrebatador nas intensões límpidas de renunciar a qualquer resistência, disposto ao abandono passivo da entrega, emocional e apaixonado no desejo ímpar da comunhão do ato. Um beijo sensual e quase lascivo pela volúpia imaginada de lábios que se tocam, cruzam, fundem, proporcionando a comunicação direta das línguas, o acesso a uma conversa sem palavras nem recurso a dicionário. Beijo de namorados, universalmente conhecido, conduzindo, a dada altura, à erosão dos sentimentos numa metamorfose em que estes se transformam em sentidos que se deixam conduzir pelo instinto fecundo da união, num querer tão forte que lhe chamam amor, mas que pode não passar de paixão.

04
Fev20

Beijo Digno

Gil Saraiva

098 -digno.jpg

99. Beijo Digno, aquele que nasce sempre que existe consentimento, verdade, sentimento, razão de ser, atração biunívoca, concordância, harmonia, vontade e querer. Um beijo que implica total respeito entre os intervenientes, porém, e pese embora que neste sentido lato possam existir imensos beijos enquadráveis na categoria, o beijo digno é, por excelência, um beijo vindo do cerne de quem beija e dado no âmago de quem o recebe. Tem o entusiasmo da primeira vez, nem que seja a milésima ocasião em que se entrega. Normalmente, segue a via inequívoca do amor, e, ao lado deste, é capaz de partilhar toda uma existência sem vacilar.

01
Fev20

Beijo Desejado

Gil Saraiva

095 - desejado.jpg

96. Beijo Desejado, almejado, querido, cobiçado e pretendido com ânsias de fome e apetites de vontade pela menina feita mulher, pela mulher de novo menina. Um beijo que, partindo da iniciativa masculina, transporta com ele a arte mágica da fêmea que deliberadamente nos cativou o espírito e nos conduziu durante todo o trajeto até à conclusão de tal beijar. Invadindo-nos primeiro os sentidos pela presença, pelo toque, pelo cheiro, pelo murmurar de sereia feiticeira, pelo sabor que antecipamos sem antes o termos sentido, e, depois, no final do cerco, já durante o ato, aprisionando-nos o coração e corpo num querer que termina num beijo, que se torna recíproco e irreversivelmente apaixonado.

23
Jan20

Beijo Cúmplice

Gil Saraiva

087 - cúmplice.jpg

87. Beijo Cúmplice, inventado pelo querer de dois seres que o realizam por desejo, vontade e paixão simultânea. Este é um beijo que ganha asas na privacidade das alcovas, protegido por esses refúgios pouco iluminados onde a sensualidade invade as sombras e os rasgos de luz dopam as mentes, apuram os sentidos, exaltam os sentimentos num universo de prazer tornado tátil por mãos, corpos e lábios que se envolvem em exercícios viciantes, de lancinante loucura sã, que só terminam por rendição das partes bem depois da unificação de um todo feito a dois. Beijo de cumplicidade, parente rico do amor, alma gémea da felicidade.

03
Ago11

Poemas de um Haragano: Nos Caminhos da Flor – Por Mais…

Gil Saraiva

 

       XIV

 

"POR MAIS..."

 

Por mais

Que o encanto

Pareça estar quebrado...

 

Por mais

Que o sonho

Tenha dado lugar ao Sol

Depois de um raiar irritante

E nublado da aurora...

 

Por mais

Que o cotidiano

Me tente chamar à razão,

Qual despertador enervante,

Repetitivo,

Monótono

E incansável...

 

Por mais

Que a flor

Se encontre oculta...

 

Por mais

Que tudo...

 

Nada vai parar

Quem sonha

Com o que sabe querer,

Por mais

Que o sonho

Demore a chegar...

Por mais que o sonho

Demore

A sonhar...

 

Haragano, O Etéreo in Nos Caminhos da Flor

(Gil Saraiva)

05
Jul11

Poemas de um Haragano: Achas de um Vagabundo – Adormecer…

Gil Saraiva

 

ACHAS DE UM VAGABUNDO

 

 

            I

 

"ADORMECER..."

 

 

Quero ver o brilho de teus olhos

Refletir o gozo do teu ventre...

Quero...

Porque tu,

Fronteira marginal de meu prazer,

Fonte viciada onde me banho,

És rochedo que se ergue

Junto à praia,

És terramoto,

Epicentro de mim e tudo o mais...

 

Quero ser a maré

Que sobe à tua volta

E que volta a descer

Suavemente

Ou com a fúria das vagas,

Que na Adraga,

Moldam a seu belo prazer

A dura rocha....

 

Quero poder provar o sal

Das tuas ondas;

Escondendo-me à força e,

À vontade,

Explodir dentro de ti

Nascente natural do meu querer,

Fonte viciada onde me venho

Pra regressar, um dia,

Não sei quando...!

 

E quero poder olhar para o mundo

Sem o ver;

Sentir a multidão

Sem a sentir;

Falar com a vida

Sem falar;

Pois sei que apenas quero ter

A tua companhia e saber ir

Para onde contigo

Possa estar...

 

Quero ainda

Que os nossos pensamentos

Se envolvam

Conforme os movimentos!...

 

Eu quero tudo amor

E tudo é pouco,

Porque o tudo é nada

Sem te ter...

 

Mas o que é tudo?

(Por um momento o espaço

Fica mudo

Para em seguida,

A minha voz, dizer...):

 

- É o rever teu rosto de mar

A cada amanhecer

E já, indo alta a noite,

Voltar a vê-lo adormecer...

 

Haragano, O Etéreo in Achas para um Vagabundo

(Gil Saraiva)