Serve este local para tornar visivel o pensamento do último dos vagabundos que conheço: EU! Aqui ficarão registados os meus pensamentos, crónicas, poemas, piadas, quadros, enfim, toda a parafernália que a imaginação e a veia me for dando.

28
Jul 11

 

          VIII

 

"IMAGINE-SE..."

 

Imagine-se um mar de prata

Bordado ao ouro macio de um pôr-do-sol,

Deixemos agora

A nossa mente

Colocar algumas aves nidificando

Na costa fina de arbustos salgados,

Reserva natural

De um qualquer sonhado paraíso...

 

Em silêncio,

Os bateres de asas,

Se confundem com o restolhar do vento

Que sorri prá Primavera

Agora tão tangível...

 

O sentimento é por certo de harmonia!...

 

Pra quem não sente em verso

O deleite que os sentidos propiciam,

Recomendo que respirem fundo,

Deixem entrar languidamente

O cheiro a maresia...

 

Issooo...

Procurem agora sentir

A aragem vos acariciar,

De leve,

Passando-se suave

Pelo brilho dos olhos

E obrigando ao esvoaçar de alguns cabelos...

 

Com o olhar

Sigam as aves

Que gritam cânticos de amor

E de acasalamento...

 

Se entreabrirem os lábios

As papilas vão, por certo,

Detetar o gosto a mar,

O gozo das sensações plenas

E do encontro puro e idílico com Gaia,

A deusa que voluptuosa

Representa a Terra original...

 

Sentem?

Agora pensem,

Com um sorriso,

Num amor ausente...

 

Procurem influenciar a mente,

Mas sem esforço...

 

Issoooooo...

Estão vendo a sereia?...

 

É no exato instante,

De sensual e romântica lasciva,

Em que de joelhos nos dobramos

Para colher uma flor

De beira de caminho,

Que estamos integrados!

Cheios de amor,

De vida e de natura,

Enfim... de plenitude!!!

 

Imagine-se

Um mar de prata

Bordado ao ouro macio

De um pôr-do-sol

E conclua-se

Que afinal amar é simples...

 

Senão o mar seria água

E nada mais,

As aves: pássaros

E a reserva: pântano...

 

Imagine-se...

 

Haragano, O Etéreo in Nos Caminhos Da Flor

(Gil Saraiva)


24
Jul 11

 

              IV

 

"ETERNA ROCHA"

 

A flor do jardim olhou para mim...

Eu, um Vagabundo Dos Limbos,

Da net; Senhor da Bruma, da noite;

Haragano, O Etéreo...

Lenda urbana de quem nunca

Ninguém ouviu falar...

 

Passava perto, a caminho da vida,

E a flor do jardim olhou para mim...

 

As pétalas penteadas pela brisa,

O tronco hirto e firme pela certeza,

As folhas como braços abertos

Em minha direção...

 

"- É contigo que eu quero partilhar

A minha essência...

Aqui, numa cama de pétalas,

Sob um céu de luar...

 

Vem! Terás contigo o perfume da noite,

O sorriso das estrelas,

A plácida tranquilidade da Serra

Perante a eterna vigília da Lua...

 

Vem! Ocupa o meu jardim, sê meu Senhor,

O Senhor da Serra da Lua,

Dono do meu amar, do meu amor..."

 

Olhei a flor do jardim...

Ainda suspirava na ansia da resposta...

 

Olhei a flor, ali, ao sol exposta,

Branca e pura como a pura neve,

Silvestre e livre como a liberdade,

Doce e bela como a natureza...

 

Sorri... Oh como eu sorri...

Sorri de orgulho daquele olhar florido

Em mim poisado,

De vaidade infinita por me sentir

O desejo profundo de uma flor

E respondi:

 

"- Flor, eu sou um Vagabundo Dos Limbos,

Da net; Senhor da Bruma, da noite;

Haragano, O Etéreo,

Lenda urbana de quem nunca

Ninguém ouviu falar,

Buscava perdido o caminho da vida,

Em confusão, e... afinal...

Tudo é tão mais simples...

 

Serei teu e serás minha

Se o orvalho da madrugada

Eu poder ser em tua sede,

Alimentando-te a raiz e o existir...

 

Serei, enfim, o solo onde te firmas,

Servo da terra onde és jardim...

 

Não te quero eu perder,

Dá-me o teu etéreo existir

Na eternidade,

Transmuta-me na Serra da Lua...

 

Que a minha voz seja agora

A do vento que sopra de Ocidente,

A saliva o mar

Que desagua no meu corpo

E meus passos as pegadas do futuro

Que um qualquer dinossauro

Marcou na eterna rocha..."

 

Haragano, O Etéreo in Nos Caminhos da Flor

(Gil Saraiva)


11
Jul 11

 

        VII

 

"JÁ SE VAI..."

 

Vem

Voar comigo entre palavras...

A volta ao mundo daremos

Em segundos pela net...

 

Vem!

Temos a riqueza suprema

Dos chats que trocamos,

Em letras que tudo dizem

Nas frases que em conjunto

Constituem...

 

Vamos

Sentir o vento

Nos acentos das palavras...

O mar em cada til

Salgado de emoção...

 

Vem!!!

Vamos provar

As nossas bocas

Nos símbolos simples

Das chavetas...

Ah!

 

Vem!...

Que net é lenta ainda

Mas a noite é curta

E já se vai...

 

Haragano, O Etéreo in Achas para um Vagabundo

(Gil Saraiva)


04
Mai 11

 

            III

 

“VERDE E OURO”

 

Quem não queria poder ver mais além?

Se olhar a Bahia na chegada, lá do ar,

Nos faz sorrir, tremer, e mais, sonhar,

Ao descer encontramos outro bem

Ao continuar ainda mais mirando,

Ao vermos, por fim também, focando

As torrentes cristalinas de água

Agora desabando

Em chuva tépida, lágrimas sem mágoa,

Que nos mostram as ilhas na paisagem,

Frente à Bahia, quase uma miragem,

Como gotas puras, meigas, generosas,

Quais gemas saindo preciosas

Do Atlântico que lhes presta vassalagem…

 

As mornas chuvas tropicais vão lavando

Nas ilhas o verde e o ouro naturais

E em instantes, minutos, vão limpando

Os tons de jade puro e de cristais,

Por caminhos tornados aquedutos,

Onde as águas escorrem cristalinas,

Onde chapinham rapazes e meninas…

A natureza parece estar sorrindo,

Banhada de alegria ao Sol fugindo

Qual corcel, que por ravina,

Ao vento correndo dá à crina…

 

Haragano, o Etéreo in Portaló

(Gil Saraiva)


01
Mai 11

 

"QUEM..."

 

 

Ah! Quem nos olhos trás a Primavera...?

Quem no sorriso tem a branca neve...?

Quem dança como pena, ao vento, leve...?

Quem pode ser humana e ser tão fera...?

 

Quem faz parar o mundo quando espera...?

A quem a poesia tudo deve...?

Por quem se torna a vida uma hora breve...?

Pra quem nasceu tão meiga esta quimera...?

 

E quem tem a frescura de uma brisa?

Quem tem traços mais brandos que aguarela?

Quem faz ferver as águas do Tamisa?

 

É quem o alto Olimpo inveja ao vê-la...

Não se compara a Héstia ou Artemisa...

És tu... que brilhas mais do que uma estrela!

 

 

Haragano, O Etéreo in Livro de Um Amor

(Gil Saraiva)


16
Abr 11

 

“A VIDA…”

 

 

Por entre o vento e frio da terra agreste,

Por entre a chuva agora copiosa,

Vendo nuvens de forma volumosa

Vindas do cardinal de noroeste,

 

Vejo surgir o Sol no brilho infindo,

Da figura que chega mais formosa

Do que uma Primavera gloriosa

Que pelo mês devia já ter vindo…

 

És tu que chegas perto, meu amor,

Com o Sol nos cabelos trazes luz,

Com um brilho dos olhos que seduz

 

Até a terra fria e sem calor…

Obrigando o Inverno à despedida,

Vem! Qual Verão tropical tu és a vida…

 

 

Haragano, o Etéreo in Livro de Um Amor

(Gil Saraiva)

publicado por Gil Saraiva às 00:36

04
Abr 11

 

“O CONTRATO”

 

Encontrei, por acaso, na gaveta,

O teu contrato de arrendamento.

Três décadas aqui, um advento…

Mereces celebrar pela faceta!

 

Vamos dar festa e tocar trombeta,

Içar bandeiras e pô-las ao vento,

Juntar amigos no apartamento

Para brindar a toques de sineta…

 

Vamos amor, vamos alegremente,

Fazer do dia um caso de euforias

E apenas recordar as alegrias

 

Vividas cá por ti, com tanta gente,

Pois quero ver também ser celebrados

Nossos anos de vida… enamorados!

 

 

Haragano, O Etéreo in Livro de Um Amor

(Gil Saraiva)


Fevereiro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


Seja Bem vindo ao Twitter
Follow JJGilSaraiva on Twitter
Sites Mais Úteis - Directório de Páginas Web em Portugal

Busca na web
Aonde.com - outros serviços: Download, Jogos e BuscaUrl
subscrever feeds
O Vagabundo

ver perfil

seguir perfil

2 seguidores

pesquisar neste blog
 
Certificado
Site certificado
voos
voos baratos lisboa
voos baratos roma
+ Blogs
maisblogs.net
Blog Top Sites
Humor Blogs - Blog Top Sites
blogs SAPO